500 dias com ela


Finalmente assisti esse filme, não aguentava mais a pressão que as pessoas faziam para eu assistir logo, tava tenso já hahaha.
O filme conta a história de Tom, um cara comum que vive a sua vida um tanto quanto monótona, até que um dia entra uma novata no trabalho, Summer, uma mulher que não acredita no amor, que é cheia de sonhos e vontades. Eles começam a se relacionar, mas Summer não está interessada em rotular o que acontece entre eles, já Tom quer mostrar para todos que eles estão juntos com direito a chamar de namoro e tudo. Ao decorrer do filme você vai vendo as várias fazes de um relacionamento, Tom está apaixonado por Summer, enquanto ela apenas gosta de estar com ele. O filme conta com várias mensagens subentendidas sobre relacionamentos, nada de clichês.

Uma coisa que me surpreendeu no filme é a escapada que eles fazem do clichê, nada de ''felizes para sempre'' nem casalsinho perfeito, o filme mostra as reais faces de um relacionamento, da paixão á ruína. O filme conta com uns flashbacks do romance dos dois, gerados pela mente de Tom, o que deixou o filme mais divertido e dinâmico. Lembrando que a história é contada pelo lado de Tom, a história é mais dele que de Summer.

Eu gostei bastante do filme, não só pela história que foge do convencional, mas também pela trilha sonora, que conta com Beatles e The smiths. É um filme leve, sensível, delicado e divertido, que foge da temática ''alma gêmeas'' e mostra a realidade entre casais, com um final sugestivo e original.

Para mais resenhas como essa, acessem o blog - acidamentedocee.blogspot.com

Sempre,
Lua.